O que é publicidade e como usá-la a favor do seu negócio

Tempo de leitura: 9 minutos

Quer saber o que é publicidade e como ela poderá ajudar a alavancar o seu negócio? Confira neste post tudo o que você precisa saber.

Se você é gerente, empresário ou tem ideia de começar uma vida empreendedora, já deve ter se questionado sobre como fazer o seu produto ou serviço chegar até o seu consumidor, não é mesmo?

Em geral quando as pessoas se deparam com esta questão, logo pensam em contratar uma agência ou um profissional capacitado para fazer a publicidade do seu produto, serviço ou marca.

Antes disso, no entanto, é muito importante conhecer.

Você sabe o que é a publicidade?

Consegue separar os diferentes tipos e tem repertório suficiente para discutir com a sua agência sobre as estratégias?

A Publicidade já se tornou parte de nossas vidas. Basta abrir os olhos pela manhã e logo nos deparamos com algo que nos remete a algum produto, seja o sabonete para lavar o rosto ou o creme dental que escovamos os dentes.

Se ligarmos a TV ou acessar a internet, logo seremos expostos a inúmeras representações que nos remetem a produtos e serviços. 

Já deu para notar o quanto é importante refletir sobre esse assunto, e por isso, depois de uma pesquisa interessante, preparei este conteúdo para situar você a entender melhor a publicidade e mostrar como ela pode ser importante para o crescimento de sua empresa.

O que é publicidade

De forma aprofundada, a publicidade é uma estratégia de marketing que adquire espaços em determinadas mídias para divulgar produtos, serviços ou uma marca.

O objetivo precisa ser bem claro: atingir e incentivar o consumidor-alvo da empresa a ser um novo cliente, a consumir seus produtos ou aderir à uma ideia.

Outro viés da Publicidade é a contribuição social que ela pode possibilitar: além de movimentar a economia, ela também pode contribuir para o desenvolvimento do pensamento crítico, social, cultural e educativo da população.

Por esta razão, é muito fiscalizada, pois, da mesma forma que ela pode enaltecer uma ideia, um produto ou uma marca, pode também enganar e persuadir de forma não desejada.

Para combater a esses objetivos maliciosos, em nível de Brasil, existe um órgão que fiscaliza as ações da publicidade e da Propaganda. Trata-se do CONAR, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária.

Esse órgão fiscaliza, de forma efetiva, toda a indústria da publicidade e se tornou um porta-voz da sociedade para se defender de abusos com propagandas enganosas e que confrontam com a moral, a ética e os bons costumes dos cidadãos brasileiros.

História da Publicidade

Desde a invenção da escrita, nos primórdios, pode-se observar a necessidade de formas diferenciadas de comunicação, ou seja, de repassar determinada informação ou ideia adiante.

Como exemplo, podemos remeter nossa memória aos estudos da infância, dos hieróglifos ou pictogramas, feitos na antiguidade em cavernas, com o principal objetivo de transmitir uma ideia ou sentimento.

Trazendo para o contexto da propaganda, mais recentemente, registros indicam que os primeiros anúncios com fins comerciais foram publicados em jornais da Inglaterra, em 1650.

Nos Estados Unidos, os registros apontam que o primeiro anúncio em jornal foi publicado em 1704, e era um anúncio imobiliário.

Já aqui no Brasil, a publicidade se iniciou um pouco mais tarde. Os primeiros anúncios apareceram, segundo registros, nos jornais, com a venda de imóveis, divulgação de datas de leilões, ofertas de serviços de artesãos e profissionais liberais.

A partir de 1914, apareceram as primeiras agências de publicidade, caracterizadas como empresas agenciadoras de propaganda, intermediando todo o processo entre o anunciante e o veículo.

O tempo foi passando e com o desenvolvimento industrial que se iniciou no país, foram chegando empresas norte-americanas e, junto a elas, também agências, trazendo uma nova estética para a publicidade e exigindo mais profissionalização.

Isso incentivou o desenvolvimento e o aumento dos anúncios em jornais, revistas e, principalmente, nas rádios.

Com a segunda guerra mundial, houve uma queda nos anúncios e na publicidade, sendo que o setor voltou a se recuperar somente a partir de 1945.

A partir de 1950, a televisão trouxe um novo salto para a publicidade, sofisticando ainda mais a publicidade brasileira e atingindo um número incrivelmente alto de pessoas, o que se tornou, por muitos anos, estratégia fundamental de publicidade e comunicação de grandes empresas.

A partir dos anos 2000, o advento da Internet inaugurou uma grande mudança na publicidade, pois, afinal, os consumidores passaram a fazer parte desse mundo.

Para acompanhar todas essas mudanças, as empresas começaram a migrar suas estratégias e atuações, focando-as também para o ambiente digital, internet e redes sociais.

Publicidade x marketing

É comum ocorrer associação entre marketing e publicidade. Muitas pessoas, inclusive, acham que esses dois termos são a mesma coisa, devido ao fato de ambos estarem ligados à venda de produtos ou serviços, mas não são.

Podemos dizer, neste post, que marketing é algo muito maior e mais amplo que a publicidade que, na verdade, é apenas uma das ferramentas do marketing.

O modelo proposto pelo estudioso e autoridade do assunto, Philip Kotler, resume o marketing nos famosos 4ps, o chamado mix de marketing, que são: PRODUTO, PREÇO, PRAÇA E PROMOÇÃO.

Assim, podemos dizer que o marketing é a gestão desses quatro grandes itens, ou seja, para que um produto possa circular no mercado, precisamos ter bem definidas essas quatro variáveis:

  1. gestão do produto (qualidade, forma, cor, sabor, etc.);
  2. gestão do preço (levando em conta os valores de mercado, os custos para manter a produção, os preços de concorrência, etc.);
  3. gestão da praça (ou distribuição, por exemplo, como fazer o produto chegar a todos os locais possíveis para a venda) e, a que mais nos interessa:
  4. gestão da promoção (onde, como, quando e por que promover/divulgar, e como fazer, além de estratégias há exemplo de patrocínios, merchandising, relacionamento com a imprensa e, obviamente, a publicidade).

É importante lembrar um ponto crucial para a sua estratégia de crescimento: muitas pessoas acreditam que a publicidade irá “trazer resultados”.

Sim, ela sempre traz, mas desde que todos outros aspectos da gestão do marketing estejam bem definidos e funcionando: de nada vai adiantar o investimento em publicidade se esses outros itens não estiverem em conformidade.

Desta forma, se você acredita que as outras variáveis de sua empresa não estejam equilibradas, não contrate e não faça publicidade. Antes disso, coloque a casa em ordem. Se precisar de ajuda, contrate uma consultoria em marketing que tenha visão mercadológica, know-how e expertise.

Tipos de publicidade

Para cada necessidade de difusão de determinado produto, serviço, ideia ou marca, existe um tipo diferente de publicidade. Saiba diferenciar o ideal para o seu propósito de mercado e os objetivos estratégicos.

Publicidade de Produto

Este tipo de publicidade basicamente objetiva mostrar aos consumidores que determinado produto é a melhor alternativa de consumo.

Publicidade de Serviços:

É a publicidade que visa a convencer os consumidores a adquirirem bens que não são materiais, ou seja, serviços. Como exemplo, citamos os serviços de advocacia, seguradoras, bancos, etc.

Publicidade Genérica (ou de “commodities”):

Commodities são produtos que funcionam como matéria-prima para outros produtos, a exemplo do petróleo, suco de laranja, chocolate, café, soja, etc. Neste caso, não se publicita uma marca específica de matéria-prima, mas apenas ela. Exemplos: chocolate, soja, etc.

Publicidade de Classificados:

É a publicidade que se dá a negócios de venda ou aluguel. É muitas vezes feita em Jornais impressos.

Publicidade Comparativa:

É a publicidade em que os anunciantes realizam uma comparação de sua oferta com a de seus concorrentes, tanto em nível de preço quanto de qualidade. Deve ser utilizada com cautela, pois, em muitos casos, ela já foi vetada por ser abusiva e muitas vezes difamatória de produtos que concorrem a um mesmo mercado.

Publicidade de promoção

É a publicidade que difunde promoções por meio de anúncios comerciais em diversas mídias como jornal, rádio, televisão, outdoor, internet, etc. É muito utilizada no setor do varejo.

Publicidade cooperativa

A publicidade comparativa ocorre quando fabricantes e lojistas se unem para realizar a publicidade de um determinado produto. Os custos são compartilhados.

Publicidade legal

A Publicidade legal se dá pela divulgação de anúncios cuja publicação é exigida pelas empresas de capital aberto, por lei ou regulamentação específica. Exemplo: Editais; balanços financeiros; convocações públicas, etc.

Conclusão

Se você chegou até aqui é porque já percebeu o quanto a publicidade é essencial, certo? Assim, é importante que você sempre busque conhecer mais sobre o assunto para que você consiga elaborar a melhor estratégia para a publicidade de seu negócio.

É importante destacar que, nos últimos anos, muitas mídias de publicidade se tornaram de certa forma pouco eficientes, pelo fato das pessoas estarem cada vez mais online.

Sendo assim, as estratégias de marketing e de publicidade precisam estar integradas com o ambiente online (digital/internet) e o offline (mídias tradicionais que não sejam digitais).

Gostou do artigo? Está precisando de uma ajuda com as estratégias de comunicação? Entre em contato e vamos bater um papo!

___
Referências
Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Publicidade
CONAR – http://www.conar.org.br
Guia da carreira: http://www.guiadacarreira.com.br
Saia do Lugar: http://saiadolugar.com.br
Publicidade Contemporânea: http://publicidadecontemporanea.blogspot.com
Buzzlle: http://www.buzzle.com

Comente